Código: 458

IN ABYSMOS

Bookmark and Share

Referência: 85-7751-001-8


Por:
R$ 30,00

ou 3x sem Tarifa de R$ 10,00
 
Simulador de Frete
- Calcular frete

Esta magnífica experiência poética de Aguinaldo Gonçalves é a expressão condensada e cristalizada do alcance dos mais radicais e inventivos da poesia brasileira, vinda, em processo, do século XX para realizar-se neste novo século e tempo. É a poesia plenamente consciente de si e da vida, que, trabalhada em tom menor, diz das coisas mais relevantes de ambas.
In abysmos é um livro estruturado em três partes — “portal da criação”, “no jardim retórico” e “nas imediações do quase” — indicando para o processo dialético de tese, antítese e síntese, sem contudo realizar-se como artifício nessa direção. O filosófico é constitutivo dessa poesia, enquanto busca exprimir uma totalidade, talvez impossível nestes tempos de fragmentação alienante e de fetichismos quase incontroláveis.
O movimento é tenso e intenso para tentar dar conta dessa totalidade buscada que, não obstante, recusando o fragmentário engendra-se através dele e com ele. A poesia e a vida são partes e todo ao mesmo tempo e mostram-se assim para integrar o particular no universal. É uma espécie de combate lírico apocalíptico.
As vozes poéticas reconstituídas no percurso dialogam com a poesia brasileira e ocidental, buscando destas um sumo íntimo que, reconhecendo e mesmo revelando as fontes, orienta-se para uma reconstrução dialética que, no mesmo movimento, edifica e aponta as ruínas.
Assim, In abysmos está construído no que poderíamos chamar um olhar da memória, que observa o passado da poesia, os alicerces e as ruínas disponíveis que dela ficaram, em conluio íntimo e lírico com os passos da vida na sua materialidade e nas ameaças que o tempo lhe impõe. Esse olhar da memória sobre a poesia e a vida precária, ou danadas ambas, reconhece um mundo de danos para erguer-se do abismo à luz. Nas ruínas o branco e a luminosidade têm lugar, como têm lugar os sons e os ruídos, a aventura humana do passado reposta para o presente. A mesma natureza comparece com seus percalços, sem desfazer-se de si, antes integrada à humanidade do homem de destino incerto.
A leitura deste livro excepcional certamente é um desafio, como o são todos os livros desse estatuto. Mas ao enfrentá-lo o leitor sairá crescido e amadurecido, como quem conviveu com um exercício lírico formador e libertário.

Deixe seu comentário e sua avaliação


Características