Código: 866

O Cavaleiro Negro

Bookmark and Share

Referência: 9788579393310


De R$ 48,00
Por:
R$ 38,40
Economize  R$ 9,60

ou 3x de R$ 12,80 sem Tarifa
 
Simulador de Frete
- Calcular frete

Na década de 1920, uma geração de negros surgida após a abolição vivenciava forte questionamento sobre sua inserção social. Um dos nomes mais significativos desse processo foi Arlindo Veiga dos Santos (1902-1978), nascido quatorze anos após a Lei de Treze de Maio, que como outros jovens do período havia conseguido certa escolarização, e até mesmo estudos universitários, num contexto de debates nacionalistas. Esses jovens reuniam-se em grupos que frequentavam redes de sociabilidades na capital do Estado de São Paulo, nas quais correntes políticas diversas disputavam espaço entre os militantes da chamada “segunda abolição”, luta integracionista e defensora de uma nova identidade que superasse o preconceito e a discriminação.

 

A educação formal, a capacidade oratória, talentos literários e artísticos possibilitaram o protagonismo em jornais, discursos, homenagens a personalidades simbólicas em túmulos. As relações com o Catolicismo no âmbito da atuação de Arlindo Veiga dos Santos junto à Frente Negra Brasileira, da qual foi fundador e presidente entre 1931 e 1934, constituem o cerne desta pesquisa.  Por meio de abordagem biográfica, a análise dos periódicos Progresso, Clarim d’Alvorada e A Voz da Raça permitiu verificar que a atuação de Veiga dos Santos à frente dessa associação e seu posicionamento no contexto da polarização ideológica que pautou a vida da entidade no período.

Deixe seu comentário e sua avaliação


Características